Notícias Notícias

Ciência sem Fronteiras lança chamadas para graduação-sanduíche em 21 países

O programa Ciência sem Fronteiras anuncia nesta sexta-feira, 15, as novas chamadas para graduação-sanduíche. Ao todo são 21 países de destino. Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, EUA, Finlândia, França, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido e Suécia.

 O programa Ciência sem Fronteiras anuncia nesta sexta-feira, 15, as novas chamadas para graduação-sanduíche. Ao todo são 21 países de destino. Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Coréia do Sul, Espanha, EUA, Finlândia, França, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido e Suécia.

Inscrições
O período de inscrições vai de 15 de agosto a 29 de setembro para as chamadas nº 180, 181, 182, 183, 196, 197, 198, 199, 200, 201, 202, 203 e 204. Para essas chamadas, o link de inscrição pode ser acessado aqui.

Já para as chamadas nº 179, 184, 185, 186, 187, 188, 189, 190, 191, 192, 193, 194 e 195, as inscrições vão de 16 de agosto a 30 de setembro. Acesse as chamadas e seus respectivos links de inscrição.

Entre os requisitos obrigatórios para todas as chamadas estão obter nota global no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) igual ou superior a 600 pontos, em exames realizados a partir de 2009; apresentar teste de proficiência no idioma aceito pela instituição de destino; ter integralizado no mínimo 20% e, no máximo, 90% do currículo previsto para seu curso no momento do início previsto da viagem de estudos; e ser homologado pela instituição de ensino superior (IES) de origem (mérito acadêmico).

É necessário também cursar uma das áreas contempladas pelo programa. Aos alunos da área de saúde, é necessário verificar as exigências específicas de cada umas das chamadas. Há países que aceitam alunos do ciclo básico e clínico, há chamadas que aceitarão somente alunos do ciclo básico e há países que não aceitarão alunos da área da saúde.

Benefícios
A bolsa concedida aos candidatos selecionados custeará a permanência do aluno pelo período estudo no país. Além da mensalidade na moeda local, são concedidos auxílio instalação, seguro-saúde, auxílio deslocamento para aquisição de passagens aéreas e auxílio material didático para compra de computador portátil ou tablet.

A interlocução com o programa Ciência sem Fronteiras, inclusive para candidatos com dificuldades no acesso ao formulário de inscrições, deverá ser realizada via protocolo Fale Conosco.

Acesse as chamadas.

Ciência sem Fronteiras abre último cronograma de inscrições de 2014 para atração de pesquisadores e cientistas residentes no exterior

Estão abertas até o dia 15/09/2014, as inscrições para o terceiro e último cronograma das modalidades de bolsa de Jovem Talento e Pesquisador Visitante Especial no âmbito do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), as quais oferecem bolsas a pesquisadores e cientistas residentes no exterior para atuar no Brasil.

Estão abertas até o dia 15/09/2014, as inscrições para o terceiro e último cronograma das modalidades de bolsa de Jovem Talento e Pesquisador Visitante Especial no âmbito do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), as quais oferecem bolsas a pesquisadores e cientistas residentes no exterior para atuar no Brasil.

PVE
A Bolsa de Pesquisador Visitante Especial têm por objetivo atrair lideranças internacionais, estrangeiros ou brasileiros, com expressiva atuação no exterior, nas áreas de conhecimento prioritárias.

A mensalidade é de R$ 14 mil, a ser pago ao pesquisador após completar o período mínimo de 30 dias de permanência no Brasil. Ainda estão previstos auxílio deslocamento e  auxílio à pesquisa, bem como bolsas de doutorado sanduíche no exterior e bolsas de pós doutorado no Brasil.

BJT
A Bolsa de Jovem Talento têm por objetivo atrair jovens cientistas de talento, estrangeiros ou brasileiros, com destacada produção científica ou tecnológica nas áreas de conhecimento prioritárias. 

As mensalidades são de R$ 7 mil para pesquisadores nível A e R$ 4,1 mil para pesquisadores nível B. Além disso, estão previstos auxílio instalação, auxílio deslocamento e auxílio à pesquisa, bem como bolsas de iniciação científica e iniciação tecnológica industrial.

Vinculação
As propostas para as bolsas de Jovem Talento e Pesquisador Visitante Especial deverão estar vinculadas a programas de pós-graduação no Brasil, recomendados pela Capes, de instituições de ensino superior e centros e institutos de pesquisa e desenvolvimento, ambos públicos ou privados.

Saiba mais sobre a Bolsa  de Jovem Talento e a Bolsa de Pesquisador Visitante Especial

Alunos do Ciência sem Fronteiras vencem competição no Canadá

Dois estudantes do programa Ciência sem Fronteiras na Universidade de Toronto, Renan Rocha Gomes e Ricardo Ritter de Souza Barnasky, foram vencedores da competição de design MSE 558. A competição deste ano pediu aos alunos que criassem infraestruturas de hidrogênio sustentáveis para aplicações de nicho de mercado.

Dois estudantes do programa Ciência sem Fronteiras na Universidade de Toronto, Renan Rocha Gomes e Ricardo Ritter de Souza Barnasky, foram vencedores da competição de design MSE 558. A competição deste ano pediu aos alunos que criassem infraestruturas de hidrogênio sustentáveis para aplicações de nicho de mercado.

A competência em desenho técnico foi altamente considerada, mas os critérios de julgamento também incluíam um plano de negócios completo que considerasse fatores de viabilidade, incluindo a ciência ambiental, segurança, economia e marketing. Como explica o professor Steven Thorpe. "O projeto de engenharia de sucesso envolve muito mais do que capacidade técnica. Criação de valor e absorção exige planejamento e análise de parâmetros muito além princípios tradicionais de engenharia", disse Thorpe,  professor da disciplina nos últimos dez anos.

2762014-csf-toronto-01
Os critérios de julgamento também incluíam um plano de negócios completo que considerasse fatores de viabilidade, incluindo a ciência ambiental” (foto: Universidade de Toronto)


A equipe da qual os estudantes do CsF faziam parte, composta de estudantes dos cursos de ciência dos materiais, engenharia elétrica e engenharia da computação, apresentou um projeto para máquinas colhedoras sem emissão de carbono como um meio de aumentar a sustentabilidade no setor agrícola canadense. O conceito envolve a integração de um sistema de combustível de hidrogênio como uma alternativa ambientalmente correta para máquinas colhedoras. O plano também inclui soluções para gerar a absorção de uma série de outros potenciais produtos agrícolas também.

De acordo com o professor Thorpe, para o desenvolvimento de produtos de sucesso, os engenheiros precisam aprender a pensar e considerar variáveis além das especificações técnicas. "Nossa competição reflete isso. Os critérios de julgamento são também empresariais e ambientais, e a equipe vencedora, apresentou uma boa combinação de todos eles".

MSE 558
A competição é promovida por um curso aberto a graduação sênior e estudantes de mestrado por meio da Faculdade de Ciências e Engenharia Aplicada, com a intenção de promover uma abordagem multidisciplinar. Os juízes também foram selecionados para refletir a mesma diversidade de conhecimentos, com representantes da indústria, como a aeroespacial Pratt & Whitney Canada e empresa de engenharia civil, a BA Group.

2762014-csf-toronto-02
O professor Thorpe acredita que design eficaz na engenharia desempenha um papel fundamental na melhoria da qualidade de vida em uma escala global” (foto: Universidade de Toronto)


Para Jonathan Hoo, estudante que fez parte da equipe vencedora, o projeto do curso apresentou desafios ainda desconhecidas. "Foi realmente uma experiência de abrir os olhos à medida em que fomos expostos a perspectivas, habilidades, ideias e abordagens que não temos em  projetos de engenharia típicos ou laboratórios", ressalta.

O professor Thorpe acredita que design eficaz na engenharia desempenha um papel fundamental na melhoria da qualidade de vida em uma escala global. "Estou muito encantado novamente para envolver os alunos de várias disciplinas de engenharia para colaborar, mas também estudantes do Ciência Sem Fronteiras, que forneceram informações valiosas de uma parte diferente do mundo", conclui.

CsF
Lançado em dezembro de 2011, o Ciência sem Fronteiras já concedeu mais de 83 mil bolsas. A meta do programa é oferecer 101 mil bolsas até 2015. O programa busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) por meio de suas respectivas instituições de fomento – Capes e CNPq.

Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior. Dados do programa podem ser consultados no Painel de Controle do CsF.

continuidade do programa até o ano de 2018 foi anunciada nesta quarta-feira, 25, no Palácio do Planalto, em Brasília.

(com informações da Universidade de Toronto)

Prorrogadas até 27 de junho as inscrições para o 2º Cronograma das chamadas BJT e PVE do Ciência sem Fronteiras

Foram prorrogadas até 27 de junho, próxima sexta-feira, as inscrições para o 2º Cronograma das chamadas Atração de Jovens Talentos (BJT) e Pesquisador Visitante Especial (PVE) do programa Ciência sem Fronteiras.

Foram prorrogadas até 27 de junho, próxima sexta-feira, as inscrições para o 2º Cronograma das chamadas Atração de Jovens Talentos (BJT) e Pesquisador Visitante Especial (PVE) do programa Ciência sem Fronteiras.

As chamadas tem por objetivo oferecer apoio financeiro as projetos de pesquisa científicos, inovadores e tecnológicos, bem como conceder bolsas para atração de jovens pesquisadores com destacada produção científica e para o intercâmbio de pesquisadores sênior com reconhecida liderança internacional.

O objetivo principal é promover por meio do intercâmbio e mobilidade internacional de pesquisadores a consolidação, expansão e internacionalização da ciência, inovação, e tecnologia, bem como da competitividade do País com enfoque nas áreas contempladas do Programa Ciência sem Fronteiras.

Para mais informações acesse as páginas de cada uma das modalidades de bolsa BJT ou PVE.

 

Destaques Destaques