Notícias Notícias

Projeto de pesquisa com participação de bolsista CsF gera patente no Reino Unido e pode mudar prática médica

O Desenvolvimento de novo instrumento para reduzir lesões em cirurgias laparoscópicas tem participação de bolsista do Programa Ciência sem Fronteiras. O protótipo da nova agulha foi desenvolvido pelo Professor Al-Habaibeh e pelo assistente de pesquisa Joaquim Justino Netto, estudante do Brasil em estágio pelo programa Ciência Sem Fronteiras na Nottingham Trent University no Reino Unido.

O Desenvolvimento de novo instrumento para reduzir lesões em cirurgias laparoscópicas tem participação de bolsista do Programa Ciência sem Fronteiras. O protótipo da nova agulha  foi desenvolvido pelo Professor Al-Habaibeh e pelo assistente de pesquisa Joaquim Justino Netto, estudante do Brasil em estágio pelo programa Ciência Sem Fronteiras na Nottingham Trent University no Reino Unido.

A nova agulha – um trocarte modificado que é usado para penetrar músculo e pele abdominais – utiliza um mecanismo acionado por pressão que provoca sua retração no momento em que entra na cavidade abdominal.

O mecanismo funciona assim: a pressão abdominal disponível no momento da inserção da agulha infla um diafragma que, por sua vez, ativa sua retração através da força de uma pequena mola logo após aquela atravessar o músculo e o tecido. A agulha é retraída, portanto, antes de causar danos em outros tecidos.

O design – já protegido por patente – é uma versão modificada de uma cânula autorretrátil desenvolvida pelo mesmo grupo, o que o torna apropriado para cirurgias minimamente invasivas.

 

Segundo o grupo, o projeto baseado em uma inovação já existente possui componentes adicionais, é economicamente interessante, poupa tempo e reduz o sofrimento dos pacientes.

Problemas em procedimentos laparoscópicos poderiam ser reduzidos após pesquisadores terem desenvolvido uma nova agulha que se retrai automaticamente, visando evitar ferimentos potencialmente fatais. Desenvolvida pela Nottingham Trent University e Olberon Medical Innovations, o mecanismo automático previne a perfuração acidental dos órgãos dos pacientes em procedimentos minimamente invasivos.

Dados da National Patient Safety Agency relatam 48 casos de acidentes graves relacionados com cirurgias laparoscópicas entre 2003 e 2010, incluindo 11 mortes. Apesar de as complicações serem raras, perfurações intestinais ou ferimentos na vesícula biliar permanecem sem diagnóstico até que a situação se agrave, resultando em casos de insuficiência circulatória ou septicemia.

O professor Amin Al-Habaibeh, de sistemas inteligentes de engenharia da School of Architecture, Design and the Built Environment, disse: “É imperativo que o trocarte seja melhorado para ajudar a evitar os tipos de acidentes que podem causar ferimentos sérios e fatais, não importa quão raros sejam. Essa simples invenção poderia ser uma ferramenta importante na prevenção de acidentes e permite que os cirurgiões procedam com maior confiança e menor risco de ferimento ao paciente.”

O Dr.Arash Bakhtyari, diretor de gestão da Olberon Medical Innovations, que faz parte da University of Nottingham, disse: “Esse trocarte avançado é uma melhoria significante nos produtos existentes e enfatiza a importância da parceria entre indústria e academia. Através da colaboração duradoura e de sucesso com a Nottingham Trent University, desenvolvemos uma nova invenção médica que tem o potencial de ajudar médicos e pacientes ao redor do mundo.”

 

Chris Birkle e Dave Rogers

Press Officer

NottinghamTrent University 

CNPq assina acordo com a República Tcheca para o Programa Ciência sem Fronteiras

O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, e o embaixador theco Jirí Havlík, assinaram nesta terça-feira (25/11), na sede do CNPq, memorando de entendimento para a entrada da República Tcheca no Programa Ciência sem Fronteiras.

 O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, e o embaixador theco Jirí Havlík, assinaram nesta terça-feira (25/11), na sede do CNPq, memorando de entendimento para a entrada da República Tcheca no Programa Ciência sem Fronteiras.

A nova parceria trará oportunidades de bolsas em diversas modalidades para alunos e pesquisadores estudarem naquele país. Estiveram presentes, além do embaixador da Republica Tcheca, representantes do CNPq, do Programa CsF e de países parceiros do programa.

O presidente do CNPq falou sobre a importância da entrada de mais um parceiro no Ciência sem Fronteiras: “Nós esperamos um futuro bastante produtivo com esta nova parceria. Agradecemos a presença do embaixador Havlík e damos às boas vindas ao nosso programa”, ressaltou o presidente.

Para o embaixador Jirí Havlík, esta é uma grande oportunidade para firmar os laços de amizade entre os dois paises, principalmente no quesito mobilidade acadêmica. “Eu fiquei muito feliz com o acordo entre nossos países. Espero uma parceria que seja boa para ambos”.

A assinatura do memorando de intenções ocorreu durante o evento Encontro dos Parceiros do Ciência sem Fronteiras. Segundo o Coordenador Geral do Programa Ciência sem Fronteiras, Geraldo Nunes, “o evento é uma grande oportunidade para aprofundar as discussões acerca do programa, bem como ampliar a cooperação e a aproximação entre os parceiros”.

Para a representante da Secretaria de Educação Superior do MEC, Denise Nunes, o maior desafio para esta fase do programa é “preparar o estudante para a comunicação”. E para isso programas como o Idioma sem Fronteiras são essenciais.

Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Ciência sem Fronteiras lança chamada para Doutorado Pleno no Consórcio de Universidades Canadenses - CALDO

O Consórcio de universidades canadenses, CALDO, formado pelas mais conceituadas universidades nas áreas de Tecnologia e Inovação: University of Alberta, Université Laval, Dalhousie University, Universidade de Calgary, University of Ottawa, Queens University, University of Saskatchewan, Western University e University of Waterloo está oferecendo centenas de vagas para os estudantes que desejam ser bolsistas do Ciência sem Fronteiras - CsF. Em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Técnológico - CNPq, a chamada será lançada hoje, 07/11/14, e já está com o formulário de inscrições aberto, bastando clicar aqui. Para ter acesso ao formulário, o candidato precisa estar com o Currículo Lattes atualizado.

O Consórcio de universidades canadenses, CALDO, formado pelas mais conceituadas universidades nas áreas de Tecnologia e Inovação: University of Alberta, Université Laval,  Dalhousie University, Universidade de Calgary, University of Ottawa, Queens University, University of Saskatchewan, Western University e University of Waterloo está oferecendo centenas de vagas para os estudantes que desejam ser bolsistas do Ciência sem Fronteiras - CsF. Em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Técnológico - CNPq, a chamada será lançada hoje, 07/11/14, e já está com o formulário de inscrições aberto, bastando clicar aqui. Para ter acesso ao formulário, o candidato precisa estar com o Currículo Lattes atualizado. 

O CsF oferecerá, além da bolsa de CAN$ 1470,00 por até 48 meses, o seguro saúde, as passagens, o auxílio instalação e as taxas escolares. É uma grande oportunidade para os alunos que estão finalizando ou já concluiram o mestrado nas áreas de exatas, biológicas, saúde e engenharias submeterem seu Currículo, sua carta de intenções (Statement of Purpose) em inglês ou francês, a carta de referência em inglês ou francês e o diploma ou certificado de conclusão do mestrado juntamente com o histórico escolar . Não é necessário para inscrição ter projeto e contato com o supervisor no Canadá, pois o CALDO fará a alocação, suporte e acompanhamento dos interessados. 

As universidades do CALDO são flexíveis quanto a exigência do nível do idioma, aceitando vários testes de proficiência em inglês e francês, podendo estes serem ainda realizados após a aprovação da alocação pelo CALDO. É possível conhecer todas as linhas de pesquisa e detalhes sobre as universidades no portal oficial do CALDO

Equipe CsF. 

Pesquisador Visitante do CsF fala sobre insegurança alimentar em evento do MDS

A prevenção da insegurança alimentar durante as secas e enchentes na Amazônia é o tema do Sexta com Debate, encontro promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O professor britânico Luke Thomas Parry é o convidado desta edição.

Professor britânico apresenta resultados de estudos sobre impactos das secas e enchentes na região.

A prevenção da insegurança alimentar durante as secas e enchentes na Amazônia é o tema do Sexta com Debate, encontro promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O professor britânico Luke Thomas Parry é o convidado desta edição.

Parry é professor de Serviços Ambientais no Lancaster Environment Centre, da Universidade do Reino Unido. Até 2016 é pesquisador visitante especial, por meio do Ciência Sem Fronteiras, no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea), da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Possui doutorado em Ciências Ambientais Interdisciplinares pela Universidade de East Anglia (UEA), do Reino Unido, e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São Paulo. É pós-doutor em transições agrícolas na Amazônia pelo Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) e pela Embrapa Amazônia Oriental.

O Sexta com Debate promove quinzenalmente discussões sobre temas relacionados ao desenvolvimento social no Brasil e no mundo.

SERVIÇO:
Sexta com Debate – Prevenção da segurança alimentar na Amazônia
Palestrante: Luke Thomas Parry
Quando: Sexta-feira (31), às 10h
Onde: Auditório da SAGI - Esplanada dos Ministérios, Bloco A, 3ª andar


Central de Atendimento do MDS:
0800-707-2003

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa

Destaques Destaques