Ciência sem Fronteiras firma parceria com empresa norueguesa de petróleo, gás e carvão

Em reunião realizada nesta terça-feira, 20 de agosto, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, recebeu o presidente da Statoil Brasil, Thore Kristiansen, para discutir o acordo firmado entre a empresa norueguesa e o Programa Ciência sem Fronteiras (CsF).
Em reunião realizada nesta terça-feira, 20 de agosto, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, recebeu o presidente da Statoil Brasil, Thore Kristiansen, para discutir o acordo firmado entre a empresa norueguesa e o Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), que envolve a concessão de bolsas de pós-graduação no exterior e acertar os detalhes do funcionamento desta parceria. A Statoil também é parceira do Portal Estágios & Empregos do CsF desde julho deste ano.
 
O acordo foi assinado na última quinta-feira, 8 de agosto, e consiste em duas fases de implementação. A primeira vai financiar até 62 bolsas em Doutorado Pleno no Exterior (GDE), Doutorado Sanduíche no Exterior (SWE), Pós-doutorado no Exterior (PDE) e Desenvolvimento Tecnológico no Exterior (DTE) nas áreas de petróleo e gás.
 
A fase 2 terá investimentos no total de US$ 12 milhões, durante quatro anos, para co-financiamento de bolsas de estudos oferecidas a estudantes brasileiros que participam de projetos de pesquisa e desenvolvimento em instituições de ensino estrangeiras, bem como de professores visitantes, de instituições estrangeiras, que tenham interesse em desenvolver projetos de P&D em universidades nacionais na modalidade Pesquisador Visitante Especial (PVE). O número de bolsas e a distribuição por modalidade podem sofrer pequenas variações em decorrência da demanda e do país de destino.
 
Estavam presentes no encontro a diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Liane Hentschke, o diretor de Relações Institucionais e a líder de tecnologia da empresa norueguesa, Mauro Andrade e Andrea Achôa, o coordenador-geral do Programa Ciência sem Fronteiras, Marcio Ramos Oliveira, e o coordenador de Ações Nacionais do CsF, Emerson Willer.
 
Para o presidente do CNPq, a parceria com empresas não é bem sucedida somente nos investimentos, mas na troca de experiências de conhecimento e práticas em busca de uma cooperação internacional ainda mais consolidada. “O programa CsF não é somente concessão de bolsas. Seu papel é aprimorar a qualificação profissional, explorar as práticas bem sucedidas por meio de programas de estágios e até mesmo de oportunidades de empregos fixos nas áreas de ponta da ciência e tecnologia. Nós queremos que os pesquisadores estrangeiros retornem periodicamente ao nosso país e que os nossos também tragam e levem o conhecimento adquirido”, ressalta Glaucius Oliva.
 
O representante da Statoil Brasil destacou a satisfação em ser parceiro de um programa como o Ciência sem Fronteiras que trabalha a ciência e tecnologia em benefício da população e da nação, uma das premissas da empresa norueguesa. “A ciência deve ser competitiva, mas em conjunto com isso, deve primar pelo retorno do que é estudado em prol da sociedade. Acreditamos que o investimento em tecnologia por meio de programas de estudo, treinamentos de estágios em empresas de ponta e parcerias entre as instituições sejam uma das chaves para que isso aconteça”, afirma Kristiansen.
 
Statoil - Empresa norueguesa que objetiva a inovação e sustentabilidade por meio de investimentos em ciência & Tecnologia, a Statoil trabalha na extração de gás natural e petróleo. A empresa é líder na operação da plataforma continental norueguesa. Representada em 34 países, a empresa possui atividades de extração e produção em 14 destes, inclusive no Brasil, onde atua desde 2001. Com sede no Rio de Janeiro, a Statoil Brasil opera o campo de Peregrino, na Bacia de Campos. O projeto entrou em fase de produção no primeiro semestre de 2011.
 

Coordenação de Comunicação Social