Doutorado de bolsista do CsF pode contribuir na eficiência de aviões não tripulados

O trabalho intitulado ¿Arquitetura Orientada a Serviços para Sistemas Embarcados Críticos Complexos - Um estudo de caso focado em aviônicos¿, conduzido por Douglas Rodrigues, pode auxiliar os Veículos Aéreos Não-Tripulados (VANTs) durante suas missões.
O trabalho intitulado “Arquitetura Orientada a Serviços para Sistemas Embarcados Críticos Complexos - Um estudo de caso focado em aviônicos”, conduzido por Douglas Rodrigues, pode auxiliar os Veículos Aéreos Não-Tripulados (VANTs) durante suas missões.
 
O bolsista do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF), aluno de doutorado do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, defende sua tese inspirada no tema central do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT SEC), na modalidade Doutorado Sanduíche no Exterior (SWE), na Universidade de Lancaster, na Inglaterra, até março de 2014.
 
O doutorado conta com a orientação da Dra. Kalinka R. L. J. Castelo Branco, diretora administrativa do INCT-SEC e professora do ICMC, no Brasil, e do Professor Dr. Geoffrey Coulson, diretor da School of Computing and Communications (SCC), da Universidade de Lancaster, na Inglaterra.
 
No Brasil, os VANTs tem sido utilizados no combate a crimes ambientais e no monitoramento de fronteiras, atividades onde são considerados fundamentais. O avião guiado através do piloto automático, percorre o percurso necessário para a realização de determinada missão utilizando um sistema embarcado crítico - conjunto de dados de computação ou eletrônica que fazem parte de um sistema que o controla.
 
Rodrigues alerta que desenvolver toda essa ferramenta e combinar com a arquitetura orientada a serviços dos VANT no país ainda é um desafio por exigir recursos computacionais que são escassos. “Esse tipo de arquitetura geralmente demanda um grande custo computacional e alguns VANTs possuem recursos computacionais, como memória e poder de processamento, limitados. Uma vez que a informação for adicionada, o piloto automático poderá realizar a missão tomando as melhores decisões e cumpri-las com êxito”, explica Rodrigues.
 
Rodrigues acredita que estudar no exterior pode contribuir para o desenvolvimento desta engenharia.  Ele lembra também sobre outros benefícios agregados a oportunidade, como o fato de obter mais experiência ao vivenciar e entender como ocorre a pesquisa científica em outros países, além de manter contato com pesquisadores renomados para aprender e utilizar suas experiências no desenvolvimento de outros projetos nesta área do conhecimento e outras de interesse.
 
Doutorado - O objetivo central da tese de doutorado de Douglas é subsidiar o sistema dos VANTs com informações, utilizando a arquitetura especifica para esse tipo de aeronave e agregar informação ao piloto automático de forma dinâmica, para contribuir na tomada de decisão conforme cada missão, melhorando seu desempenho.
 
“Para que os sistemas estejam alinhados e sua comunicação bem estabelecida é possível utilizar a arquitetura orientada para serviços, proposta que trata as aplicações distribuídas como um conjunto de funcionalidades bem definidas em forma de serviços, disponibilizados por meio de uma rede de computadores como a internet”, explica Douglas.
 
VANTs - Os Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) são aviões controlados remotamente ou de forma autônoma, que foram idealizados para operar em situações de risco ou de difícil acesso para o ser humano.
Inicialmente produzido apenas para aplicações militares, o VANT pode ser empregado também em diversas outras ações civis, como no monitoramento de tráfego, inspeção de rodovias e pontes, inspeção de linhas de transmissão de energia e monitoramento de eventos em estádios, como os que serão utilizados na Copa do Mundo e Jogos Olímpicos do Brasil, em 2014 e 2016, respectivamente.
“Vigilância policial em áreas urbanas, aplicações em agricultura de precisão, inspeção em áreas remotas, monitoramento de desastres naturais ou de áreas em conflito e o transporte de cargas, também integram o conjunto de situações onde os aviões podem ser utilizados”, sugere Douglas.


Coordenação de Comunicação Social do CNPq