O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) realizou, nesta quinta-feira (21/11), o terceiro evento preparatório da viagem dos bolsistas de graduação sanduíche do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) para Austrália, Canadá, Coréia do Sul, Finlândia, Nova Zelândia e Reino Unido.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) realizou, nesta quinta-feira (21/11), o terceiro evento preparatório da viagem dos bolsistas de graduação sanduíche do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) para Austrália, Canadá, Coréia do Sul, Finlândia, Nova Zelândia e Reino Unido.

Na abertura, a diretora de Cooperação Institucional do CNPq, Liane Hentschke, lembrou a importância do programa para o desenvolvimento do Brasil e para a formação dos estudantes, a quem se dirigiu: “Não só a ida, mas o retorno de vocês trará grande benefício para o Brasil no desenvolvimento da Ciência e Tecnologia”. Segundo Liane, “estudar no exterior é uma oportunidade única de vivenciar outra cultura, a literatura, as artes, o “modus operandi” da universidade. Isto é extremamente importante para a formação de vocês”, completou.

Para o secretário da Divisão de Temas Educacionais do Itamaraty, Eduardo Figueiredo Siebra,“o Ciência sem Fronteiras tem um significado muito especial do ponto de vista do Estado e deste Governo, especificamente. É o Brasil se perguntando que tipo de desenvolvimento a gente quer ter a partir de agora.”

O evento contou com a participação de representantes dos seis países de destino, que aproveitaram a oportunidade para falar sobre a cultura e o sistema educacional de seus países.

Segundo o embaixador da Nova Zelândia, Jeffrey McAlister, “o Brasil e a Nova Zelândia tem muitas semelhanças, são países modernos, do sul, nações jovens e pacíficas.” Após falar sobre características geográficas e a educação do país, Jeffrey exibiu um vídeo com  imagens para os bolsistas do CsF. 

O bolsista de Engenharia Mecatrônica da UNB, Artur Macedo, que vai para o Canadá, disse que o programa ciência sem fronteiras proporcionou uma mudança de fase em sua vida. “Minhas expectativas são as melhores possíveis. Sempre sonhei em fazer intercâmbio, principalmente no Canadá, e agora é mente aberta pra apreender e aproveitar ao máximo essa oportunidade” comemorou o estudante.  

Durante o encontro, foram esclarecidos os principais pontos que devem ser observados pelos bolsistas antes do embarque e durante as atividades no país de destino como: obtenção de visto, leitura da cartilha de orientações do CsF, definição de acomodação e alojamento, recebimento da bolsa de estudos, benefícios, obrigações do bolsista, necessidade de envio de documentos após a chegada no exterior, entre outros.

Coordenação de Comunicação Social 
Fotos: Cláudia Marins